Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A BICICLETA DA TITA

Sábado, 15.11.08

Quando o papá e a mamã chegaram a casa, naquele dia, não vi o  Pedro e perguntei.

_Mamã, e ele.?

Afinal vinha numa embalagem,lá atrás, uma alcofinha. Fiquei muito nervosa. Não imaginava como seria ele em casa comigo. E a vovó pegou nele, mas depois também lhe peguei e vi que era giro ter um mano. Talvez não fosse assim tão mau como eu imaginava. Ele até nem anda pela casa como eu. Mas a mamã anda sempre com ele ao colo e não me pega, diz que tem dói dói na barriga, mas pega nele, não percebo e fico pensativa.

Felizmente o papá dá-me a mesma atenção e a vovó e até o avô tem passado mais tempo a brincar comigo.

O tio João trouxe uma prenda grande e eu julgava que era para o Pedro. Mas o tio João disse que era para mim e eu fiquei muito contente. Era um microfone grande do Nodi e eu que pensava que era uma bicicleta.

Então o meu pai comprou-me uma bicicleta e eu fiquei muito contente. Levei-a para o parque  e deixei os meus amigos andar na bicicleta. O avô veio para me ensinar. Fui eu que quis que ele viesse. O avô brinca muito comigo e não pega no Pedro, muito tempo. O avô diz que quando o Pedro crescer vamos ser todos muito amigos nas brincadeiras.

Agora dizem que estou muito gorda e que não posso comer bolachinhas. Acho que é por causa do Pedro.

Fui andar de bicicleta com o papá e a mamã. O avô e a avó ficaram em casa com o Pedro!...

Gostei desta manhã especial fora da rotina.

Agora ando a pensar que quero ir para a escolinha para aprender a ler. Quero ler as histórias dos livros para não me contarem de maneira diferente. E para eu também saber inventar e escrever no blog porque o meu avô parece que anda muito ocupado!...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por gatamaneiras às 12:50

OLHA!...O MANO JÁ SAÍU...

Sábado, 01.11.08

No dia 30 estranhei que a mamã se levantasse tão cedo e o papá, e tinham uma mala de viajem.

Eu brinquei com a mala, como faço quando vou ás compras com a vovó ao super mercado e empurro o cesto das compras, que tem uma rodinhas .

_Mamã. esta é a tua mala....

O avô e a avó vieram muito cedo, também, ainda era noite. E eu fiquei muito contente porque vieram todos. A mamã trás o Pedro Miguel dentro da barriga. Leva-o sempre com ela e deixa-me ficar.

A vovó já me explicou que eu também andei na barriga da mamã, antes de nascer e que a mamã e o papá gostam muito de mim.

Não sei porquê sinto que vai haver uma transformação cá em casa, mas não sei bem o que vai acontecer.

Durante a manhã ouço telefonemas, num deles é o papá que fala qualquer coisa com o vovô, que já é avô de um menino de 3,650Kg e que nasceu ás 8,17 Horas. O meu avô não diz muita coisa e olha para mim.

Eu não sei como é que o avô pode ser também do Pedro Miguel se ele é o meu avô.

Depois o meu avô saiu e não o vi durante o resto do dia.

À noite o papá e a mamã não vieram,mas como a vovó dormiu comigo, fiquei contente.

Já tem acontecido outras vezes quando o pai e a mãe vão a qualquer saída longe.

Hoje dia 31 não vi o avô de manhã. Mas o meu pai veio para me dar banho e trouxe uma fotografia em que eu vi o papá, a mamã e um bebé. O papá disse que era o Pedro Miguel.

à tarde o papá levou-me no carro, mais a avó para ir ao hospital ver a mamã e o Pedro  Miguel, o meu mano....

Quando lá cheguei vi o avô e fiquei muito surpreendida,mas gostei de o ver e fui logo para o colo dele . Fiz festinhas ao mano e disse:

_Olha, o mano já saiu...da barriga da mamã. Parece o meu chorão... E gostei de o ver, tão pequenininho, a dormir, as mãozinhas dele... Depois andei a brincar com o avô.

E voltei para a minha casa.. E dormi a sesta.

À noite disse à vovó que a mãe se tinha ido embora e mais o papá e que o avô estava lá com eles. A vovó disse que não, que a mamã vinha amanhã, e que o avô ainda viria de noite..

E foi verdade, uma das partes, tocaram à porta e era o avô. Levei-o logo para brincar comigo.

Brincámos muito, e foi uma risota e cavalitas e pintar e contar histórias e cantar. Fiquei muito contente que o avô viesse, até que adormeci...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por gatamaneiras às 00:46

O ESTIGMA DO PEDRO MIGUEL

Sábado, 18.10.08
Olá amiguinhos, sou a TITA e este aqui que escreve o que eu digo é o meu avô querido. Fui ao parque com o meu avô, depois de termos estado a brincar à apanhada e de ele me fazer rir muito com umas caretas e umas histórias que me contou, onde eu apareço no lugar das personagens da história verdadeira. Por exemplo, na Bela Adormecida, sou eu que estou no castelo, em cima do sofá e o meu avô é o príncipe que me acorda com um beijinho. Acho isto muito engraçado. Na menina do Capuchinho Vermelho o avô é o Lobo mau e eu a capuchinho, claro. Mas, continuando, fui ao parque e levei a minha trotinete nova que o papá comprou. É azul e eu gosto muito de andar e já sei que é com um pé em cima e o outro anda no chão, a empurrar, quando está a rolar ponho o outro pé em cima e pronto, é uma mota. Quando a minha mãe chega do trabalho não fico muito satisfeita. Já sei que a vovó vai embora e eu não queria. E não gosto de ver a mamã com o Pedro Miguel dentro da barriga. Nem vou dar-lhe um beijinho. Acho que a mamã desde que tem o Pedro Miguel na barriga só gosta dele e não percebo porquê. O avô diz que não é bem assim, que eu também andei na barriga da mamã e que vamos ensinar o Pedro Miguel nas brincadeiras que eu já sei e ele não sabe nada. Esta história ainda me faz muita confusão e sinto que em breve a minha vida vai mudar. Falam muito na escola para mim. O avô vai passar a vir todos os dias e isso eu gosto,mas e a vovó? E como vai ser com o Pedro Miguel? Será que o avô também vai escrever para o mano? São muitas perguntas para as quais não encontro resposta. E pronto, hoje fico por estas dúvidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por gatamaneiras às 22:58

A TITA EM VIAGEM E OUTRAS FALAS

Domingo, 05.10.08

_Avó!...Porque é que o Pedro anda sempre com a mamã?

Perguntei à minha avó, porque me faz confusão, que falem do Pedro e apontem a barriga da mamã. Ela vai para o escritório e não me leva, mas o Pedro vai sempre.

_Sabes, o Pedro está na barriga da mamã, como tu estiveste quando eras como o Pedro, um bebé.

Mas eu não me convenci e lembrei-me da história do Capuchinho Vermelho e de como o avô diz que nos podemos colocar dentro da história.

_E porque é que o lenhador não tira o Pedro da barriga da mamã?

A minha avó ficou a olhar para mim, talvez a pensar o que dizer e o que disse não me convenceu muito.

_Porque a mamã não é o lobo mau. Ela não comeu o Pedro. É assim que se formam os meninos antes de sair da barriga das mamãs.

._Uhm!!!..

Peguei num carrinho que tenho e que anda com o andar dos meus pés. e disse.

_Agora vou fazer uma viagem. Vou até Miranda para ver os Pauliteiros...

E fui da sala ao quarto, a mostrar que já sei guiar e voltar à esquerda e à direita e apitar nas curvas para avisar que vou a passar. Mas lembrei-me que o carro precisava de gasolina.

_Avó!...gritei do meu quarto.

_Já vou, espera um pouco.

Deixei passar um pouco que não foi muito, foi um pouco mesmo pouco e gritei de novo:

_Ó Gina!.. eu não te chamei! A vovó veio logo, porque deve ter-se lembrado que me diz que se deve responder de imediato quando nos chamam.

_Diz, Tita...

_Preciso de meter gasolina para a minha viagem e tu és a senhora da gasolina.

Andei por ali no hall mais um pouco e vi a vovó sentada numa cadeira na mesa da sala como se fosse hora de comer, mas não era ainda hora.

_Eu também me quero sentar numa cadeira.

_Estás cansada?

_Não, agora vou fazer uma reunião com a vovó.

Eles riem-se das coisas que eu digo, mas eu estou a falar a sério. Sei muito bem que as  reuniões são para estarmos todos juntos a falar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por gatamaneiras às 13:08

REFLEXÕES DA TITA SOBRE O PEDRO

Segunda-feira, 29.09.08

Olá, a todos.

De repente começo a ver entrar pela casa, uma banheira de bebé, roupas que não são para mim,  e dizem, quando eu pergunto, que é para o Pedro.

Confesso que esta história do Pedro me deixa muito confusa. A vovó é só minha, a mamã é só minha, o papá é só meu, o vovô é só meu, não compreendo porque hei-de repartir com o Pedro, se nem sei ainda quem ele é. Para mim é só um nome e um nome que se  prepara para me tirar tudo o que até aqui tem sido só meu. Só vejo a barriga da mamã a crescer e ela sem vontade para brincar comigo.

Talvez por isso dei em fazer o que eu chamo patifarias e malandrices à minha querida vovó. Tudo o que dizem para eu  não fazer, eu faço quando estou só com a vovó. Ponho-me em cima da mesa da sala, a dançar. Salto em cima dos sofás. Voltei a escrever nas paredes e até pedi a chucha, quando vi entrar umas chuchas e me disseram que era para o Pedro. Mas a chucha nah!... Larguei logo, não quero mesmo.

Faço a vovó fazer ginástica comigo, no chão, levantar os braços, as pernas, nadar e rio-me muito porque ela engana-me, não faz direito, diz que lhe dói.

Já me custa muito que o meu avô venha visitar-me menos vezes do que eu estava acostumada. Eu acho que ele fica com o meu tio João e eu não queria. O avô é só meu e eu gosto muito do avô.

A minha amiga do parque, a Matilde, também tem um Pedro de novo. Puseram-na numa escola e ela ficou triste. Espero que não me façam o mesmo a mim quando o Pedro vier.

Há dias o avô foi comigo ao parque sozinho porque a vovó foi ao Sr. Doutor. Gostei muito porque o avô empurrou o baloiço com muita força e eu subi mais alto que as outras meninas.

Beijinhos

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por gatamaneiras às 16:44

MOVIMENTO PIJAMINHA PARA O ( IPO )

Segunda-feira, 22.09.08

Do espaço Astrológico

http://espelhodevida.blogspot.com

Causas de todos

 




Movimento Pijaminha (para o IPO)

São necessários (principalmente) pijamas para as crianças que estão no
Instituto Português de Oncologia a fazer tratamentos de quimioterapia.
Após os tratamentos, os pijamas ficam muito sujos e gastam-se
rapidamente.
Esta ideia surgiu há dois anos e hoje já é apelidada de *Movimento
Pijaminha* pelo sucesso que têm tido os esforços conseguidos!
As necessidades existentes passam pela falta de pijamas, pantufas,
chinelos, meias, robes e fatos de treino.
Para todos a vida não está fácil, mas dentro das possibilidades de
cada um há sempre espaço para participar, comprando ou obtendo junto
de amigos e familiares agasalhos que já não sirvam.
No ano passado foram entregues 76 pijamas e o IPO ficou muito
satisfeito com esta dádiva.
Este ano vamos repetir a façanha, e se possível ultrapassar este número.
Se divulgarem já estão a ajudar!!!

 

             -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Correspondendo ao apelo veículado pela amiga  do meu avô Ana Cristina Corrêa Mendes em

http://espelhodevida.blogspot.com.

As minhas felicitações, a minha solidariedade, a minha partilha de espaço na divulgação.

Um apelo especial ao Clube Mammy onde por certo muitos pijaminhas farão a diferença.

Beijinhos da Tita para todos os meninos do IPO e não só, para todos os outros meninos que crescem sob a indiferença dos adultos apressados.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por gatamaneiras às 09:59

O DIA " D " DA ALMA APAIXONADA - O DESFECHO

Domingo, 21.09.08

O meu avô hoje levou-me ao parque para um dia especial. Disse que eu ia participar na parte final de uma história que ele escreveu com muito amor. Estou contente e curiosa de ver e sentir o escrever da história contada pelo meu avô querido.

Estou a andar no baloiço que eu gosto muito e vejo entrar um menino que parecia um príncipe e que eu nunca tinha visto brincar neste parque.

O menino vinha com um homem de olhar triste e que parecia ter estado a chorar. Devo dizer que o menino tinha um olhar ainda mais triste e eu franzi a testa, curiosa, porque estou muito habituada a ver os meninos e meninas muito felizes e risonhos nas brincadeiras.

Fui ter com o menino e perguntei como se chamava e ele disse que era Bernardo e baixou os olhos para o chão, de braços caídos, como quem espera que o levem, ou lhe tragam algo que perdeu.

_Bernardo, queres andar no meu baloiço?

Ele disse que sim com a cabeça e encolheu os ombros em simultâneo. Agarrei na mão dele e levei-o para o baloiço. O pai  dele,de olhos tristes, ficou a olhar embevecido e ausente, como se a visão do filho fosse uma miragem.

_ E tu, como te chamas?

_Eu sou a Tita, mas na história sou a Princesa do amor "Criz"

_O menino sorriu avô!...

 Eu disse ao Bernardo que estava no parque com o meu avô e perguntei quem era aquele senhor que estava com ele. O Bernardo disse que era o pai dele. Que ele gostava muito do pai.

_ E a tua mamã? Perguntei curiosa por ele não falar da mamã.

O bernardo encolheu-se todo e baixou a cabeça. Os olhos ficaram ainda mais tristes e disse muito baixinho que  a mamã dele tinha partido. Não sabia se voltava. E tinha muitas saudades de estar com ela, de a ter. E desatou a chorar.

O  pai aproximou-se e pegou no Bernardo fazendo.lhe festas na cabeça de cabelos castanhos. E eu disse.

_Não chora, Bernardo, vais ver que a tua mamã não partiu. Eu sou a Princesa  Criz,do amor entre os meninos e vou fazer uma magia.

E fiz uns gestos no ar com uma varinha imaginária. E disse umas palavras que eu dizia serem mágicas. E abracei o Bernardo que deixara de chorar e dei-lhe um beijinho e um abraço forte.

_Vamos jogar a bola?

Mas o Bernardo já não me ouvia, um sorriso lindo, enorme deixava ver uns dentes lindos e certinhos, tão brancos como os meus. Os olhos dele iluminaram-se de uma luz maravilhosa como eu só vira, ainda num sonho que tive.

_Mamã!...

Eu vi o Bernardo correr para uma senhora muito bonita, que também parecia uma Princesa. Vestia um vestido azul bebé e tinha um sorriso do tamanho do mundo. Os olhos tinham lágrimas e eram grandes. Pegou no Bernardo com uma alegria que parecia o meu avô quando está uma semana sem me ver.

O pai do Bernardo ficou parado onde estava, a ver o filho correr e disse apenas, com os olhos muito abertos-

_Cristina!...

Fiquei a saber que a mamã do Bernardo era Cristina. E que por qualquer razão tinha partido.

E que por qualquer outra razão tinha voltado.

_Avô, é o fim da história?

_Não meu amor, nas histórias da vida não há fim, aprenderás pelo tempo.

_Ainda bem, disse eu.

E fiquei pensativa a ver como a Cristina abraçava o Bernardo e o pai dele e ouvia a voz do Bernardo a dizer " mamã, papá, vamos brincar.

Um homem que parecia o meu avõ olhava também ele  a cena da Cristina reunida à família, como se fosse parte do elo que os fazia caminhar numa direcção única.

_Avô, quem é este?

_ Um mistico, Anastácio Bandarra, um poeta.

_Avô e o que é um poeta?...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 

 É o que me proponho. Escrever sobre vidas anónimas que valem as luzes da ribalta ou a fixação histórica e que traduzem a essência de um povo. Primeiro de uma família. Primeiro ainda, ou antes de tudo, a essência de um homem, de uma mulher.

Escreverei por encomenda, preços de acordo com extensão e pesquisa de documentação. Mas com a paixão que o percurso proposto me suscitar.

Aguardo a vossa proposta.

 

J.R.G. 

 


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por gatamaneiras às 01:18

A TITA FOI AO CABELEIREIRO

Quarta-feira, 10.09.08

-Onde está a vovó?

Vou à porta da casa de banho e bato com a minha mão na porta e digo.

- Vovó!... está aí?

-Não tenhas medo, é o capuchinho vermelho.

Depois fujo a correr e atiro-me para cima do sofá.

Fui ao cabeleireiro com a mamã e a vovó. A mamã foi a outra secção e eu fiquei à espera com a vovó.

- Vovó, posso sentar-me neste sofá?

-Podes

Peguei numa revista que estava em cima da mesa e disse.

-Vovó posso ler esta revista?

-Podes, mas não rasgues.

E eu vi os bonecos e fingi que li, muito séria e ia falando com a vovó sobre as fotos de senhoras ou de objectos.

Quando veio a senhora, disse-me se eu queria cortar o cabelo e eu disse para ela

-Eu quero ficar muito bela

Quando acabou, a senhora perguntou se eu achava que estava bem e eu disse que estava bela.

O avô tem vindo poucas vezes visitar-me  e eu tenho muitas saudades dele. O vovô é um dos meus amores.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por gatamaneiras às 00:57

DIALOGOS PARA CRESCER

Sábado, 02.08.08

Conheço uma menina muito querida que se chama Catarina e tem 9 anos. E estamos as duas a andar no baloiço. E Falamos como boas amigas.

- Catarina, esta é a minha avó, quantos anos tens?

- Já sei que é a tua avó, eu também tenho mas não está cá. Eu tenho 9 anos.

-Eu só tenho dois, mas já sou muito crescida.

-És uma rechonchuda.

-Olha, Catarina, tive uma ideia.

-Qual é?

-Umh!...Já me esqueci. Depois digo-te.

Depois das brincadeiras loucas do parque a avó e eu vamos embora. Ainda vamos ao pingo doce comprar o pão.

Mas para chegar ao Pingo doce, descemos a montanha, que é uma ruela, ou caminho,  muito inclinada e temos que atravessar uma estrada onde passam carros..

- Vovó, podemos passar já aqui, não vêm carros.

-Não, Tita, passamos ali mais acima na passadeira.

-Mas não vêm carros e o vovô diz que quando não vêm carros podemos passar.

- Vamos passar na passadeira sempre, é mais seguro.

Fiz birra. Mas depois passaram carros e lá me convenci que  a vovó tinha razão.

A vovó diz que estou muito irrequieta. Já a mamã e o papá dizem o mesmo. Sinto uma força esquisita dentro de mim que quer sair e falo e grito e corro e faço partidas.

Sou muito alegre e extrovertida.

Beijinhos

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por gatamaneiras às 12:29

A TITA TEM UMA FAMÍLIA

Quarta-feira, 30.07.08

Tenho um hábito carinhoso de juntar as faces das pessoas que amo muito e digo que me são queridas. E fico a olhá-las com um sorriso.

A mamã com a vovó. Adoro as duas, com as minhas mãos encosto a cara delas e dou beijinhos nas duas.. A mamã é bela ,linda e faz-me muitos mimos. E eu gosto muito, muito, dela.

A vovó é como se fora uma outra mamã. Ás vezes até me engano e digo mãe. Depois dou pelo erro e rio-me, adoro a vovó duma forma especial e cúmplice.

Junto as faces da vovó e do vovô. Adoro os dois. E sei, sinto que eles se adoram. Dou beijinhos e sorrio.

Junto a face da mamã e do papá. Isto é emoção? o meu sorriso eleva-se para um e outro e digo:

-Mamã! Papá! Somos uma família! O meu sorriso tinha muita ternura, tudo o que eu senti que é ser uma família. O meu papá chorou. Que foi que eu disse?

A vovó chegou e fomos ao parque. Eu vou na frente e digo à vovó:

-Vovó, eu vou sozinha.

Na rua há muitas portas com vidros e vejo a minha imagem e digo à vovó:

Vovó, a Tita é bela!

A vovó ri-se e diz que sou bela, bonita e uma menina muito inteligente e muito querida.

No parque estão uns meninos muito crescidos que fazem macacadas. Sento-me num banco que há no parque a observá-los com muita atenção.

-O que estás a fazer aí sentada, Tita? Pergunta a vovó. E eu digo.

-Estou a observar aqueles estúpidos.

A vovó diz que não devo chamar esses nomes aos meninos, para que um dia não me chamem a mim. Observo-os. e olho para a vovó.

-Ah!, vovó. Tu também estás a observá-los. Assim não vale!...

De regresso de mais um dia de brincadeiras vamos ao café das cadeiras encarnadas e bebo um sumo. Que bem me sabe.

beijinhos a todos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por gatamaneiras às 10:49





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Outubro 2016

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031